quinta-feira, 4 de abril de 2013

Casamento 3º ao 7º mês - Na Riqueza e na Pobresa

   Estamos iniciando mais uma fase de nossas vidas.
  Meu marido ficou desempregado. E nossa cidade está em crise econômica  numa gestão politica horrorosa  com isso a família dele teve que fechar o restaurante que eram donos. 
 
  Ele é uma marido muito prestativo, enquanto eu trabalho, ele cuida da nossa casa e esta fazendo alguns trabalhos extras, para complementar a renda. 
 
  O bom que não temos filhos, nossa casa é própria e as dividas dão para pagar com meu salário a principio.
 
       Vejo essa época como uma época de  crescimento no relacionamento. Pois estamos nos apoiando muito. E tento sempre incentiva-lo para ir atras dos projetos dele. 
         Ta sendo um período de privações, mas de muito carinho, companheirismo e luta! 

Beijos com carinho, 

Flor de Lis

quarta-feira, 3 de abril de 2013

O Terceiro Travesseiro

     Em homenagem ao meu marido, dou a dica de um livro muito interessante chamado "O Terceiro Travesseiro" , escrito por Nelson Luiz de Carvalho. Li pela primeira vez essa história em 2009, quando peguei emprestado com meu esposo. 

     O livro se baseá numa história real, de dois adolescentes que descobre em conjunto a sua sexualidade. Lutam pela aceitação da família, até aparecer uma garota que se tornara a ponta do triangulo. Despertando assim a bissexualidade de ambos e dando novos desafios para se enfrentar.

        É um livro que vale a pena ser lido, para quem quiser entender como a sociedade e a família interferem nas escolhas. E também para os que querem descobrir, ou se identificar com os sentimentos vividos, os medos e as superações dos personagens.

     Para quem quiser lê-lo,  tem um site que disponibiliza a     obra, é só clicar aqui! 

Espero que gostem! 

Beijos, Flor de lis! 



terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Casamento - 2º e 3º mês - Na Saúde e na Doença

        A vida a dois não é tão fácil, e as vezes temos que engolir algumas coisas para dá certo. Levar as vezes um não é difícil, nos deixa revoltados, mas o outro também necessita do seu espaço. 
   Mas além dessa reflexão, nesse mês de Novembro/2012, pude refletir naquela parte, que o falamos na cerimônia do casamento: "na saúde e na doença". E vi que o casamento não é só correria do dia-a-dia, ou sexo. É um cuidado do outro com carinho e dedicação.
      Meu marido foi internado as pressas com calculo renal, e teve que operar. Hoje que teve sua recuperação pós operatório declarada como finalizada, nesses quase 1 mês, me dediquei a cuidar dele, e nunca passamos momentos tão legais como nesse período. Cada dia que eu voltava do trabalho, fazíamos coisas diferente juntos. Teve dia de ficarmos fazendo biscoitos até altas horas da madrugada, e morrendo de medo de algum vizinho reclamar da barulheira que foi feita rsrsrs.
           Aprendi muito esses dias. E a cada dia estou mais apaixonada. 


Beijinhos, 

Flor de Lis

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Casamento - 1° mês


  


      
    Nosso primeiro mês de casado posso dizer que foi maravilhoso, contando com Lua-de-mel, e os 15 dias que ainda ficamos morando na casa do meu pai. Mas além disso, é a forma carinhosa que meu marido me trata me fazendo me sentir importante e querida.   
    Ele me enche de mimos, e uma coisa que muito admiro em nossa relação é o dialogo e além disso o companheirismo.  Estamos sempre tentando ver o que podemos fazer para ver o outro sorrir. Para ver o outro feliz.
    As dificuldades existem em qualquer casamento, mas posso dizes que entre um dia e outro, eu o amo cada vez mais. 

E como é o seu casamento? Como foi seu casamento? Você lembra dos primeiros meses? 

Abraços

Flor, 

   

terça-feira, 19 de junho de 2012

Ciúmes



      Acho que o sentimento do ciúme acontece em qualquer casal! Seja nos casais tradicionais, homossexuais, ou no qual um dois parceiro ou até mesmo os dois são bi e vivem num relacionamento hétero, mas uma coisas é fato, todos nos seres humanos sentimos ciúmes, com diferente intensidades, mas sentimos.
           Eu por exemplo não sei de quem sentir mais ciúmes se é  dele com as mulheres ou com os homens. Então optei em só observar e só falar se eu ver que existe algo estranho no ar, mas confesso, nem sempre é fácil se controlar. 
        Um ciúminho em pequenas doses é bom, só devemos atentar quando os ciúmes extrapolam e queremos obrigar o outro a viver apenas nossa vida e deixa que vivam a sua. Devemos sempre nos lembrar que antes da pessoa nos conhecer ela já tinha uma vida antes de nós, e através do dialogo podemos alertar o que gostamos ou não, mas cabe a pessoa escolher até que ponto deixar de ser assim ou assado, não modifica na vida dele para se tornar uma outra pessoa. 
        Meu noivo é extremamente simpático, gosta de conversar, cumprimentar todo mundo que vê, eu já sou simpática, mas fechada, até me abrir para uma pessoa e dá liberdade para ela demora muito. E aceitar esse lado dado dele, foi um processo de perceber que essa é a essência do outro, não adianta eu privar dele  ser assim com os amigos, se ele sempre o foi, ai cria o vinculo do esconder, onde na sua frente a pessoa é uma e por trás ela é ela mesma, e ai um dia isso cansa. 
             A essência do amor e aceitar o outro como o outro é. E colocar seu parceiro ou parceira como seu amigo, dificilmente pedimos para os amigos mudarem, eles apenas são o que são, e não deixamos de ama-los. 

Beijos.

           Flor.  





quarta-feira, 6 de junho de 2012

Happily Divorced

         Essa semana fazendo algumas buscas, achei um seriado muito legal, chamado Happily Divorced.
       Ele conta a história de um casal que depois de 18 anos juntos, o marido de declara gay. Os dois se divorciam mais permanecem morando juntos. Uma história de redescobrimento, superação, conquista, amizade e amor. Uma divertida comédia que nos faz conhecer um pouco desse mundo.
Assista ao primeiro capítulo, os demais podem ser baixados no site:                                http://www.seriesfree.biz/category/happily-divorced/page/2/
       
video

Minha História





        Em 2009, mas precisamente em agosto,eu estava  indo de van para a cidade vizinha onde concluiria minha faculdade naquele ano, quando o tal rapaz entrou na van. Uma amiga, já havia me contado muito sobre ele, mas nunca imaginei que chegaríamos onde chegamos. 
        Me lembro como hoje o momento em que a van parou e ele entrou com seu cachecol preto, era inverno meado de agosto, e estava sexy naquele estilo. Ele olhou para todos e deu boa tarde. Eu não respondi, continuei sentada me ajeitei no cantinho e dormi até chegar no me destino.

        Não muito tempo depois trocamos MSN e começamos a conversar, eu já desconfiava que ele era gay e nesse tempo eu tinha um relacionamento de 3 anos com uma mulher. Na ocasião ela estava morando em outro estado, e o combinado entre eu e ela era de no final do ano eu voltar para lá, para vivermos nossas vidas juntas, e foi ai que tudo começou a mudar.
        Meu noivo e eu nos tornamos muito amigos, a ponto, de ajuda-lo com suas investidas românticas, e ele me ajuda no meu processo de separação uma vez que minha ex me traiu e engravidou ( do filho que tanto desejamos), mas por fim ficou com o pai do filho dela. Tudo isso num intervalo de 3 meses. 
        Em novembro desse mesmo ano, nós estávamos tão entrosados que mesmo sendo apenas amigos, estávamos sempre juntos e andávamos de mão dadas pelas ruas. Nessa época ele já estava solteiro, e sempre dizia que amava uma pessoa, e estava conhecendo outras duas, que estava difícil ele tomar uma decisão porque era tudo muito novo pra ele. E eu já era apaixonada por ele, mas nada dizia. 
        No final de novembro ele me pediu um beijo, fiquei surpresa, mas também queria isso. E nos beijamos. E eu amei aquele beijo. Dias depois ele disse que foi bom, mas não queria perde nossa amizade, que era melhor ficamos só amigos. Mas amizade essa que em todas as semanas seguintes, fomos ficando e até o dia 06 de agosto de 2011 quando me pediu em noivado. 
        Somos um casal muito unido, divertidos, cumprisses, acima de tudo amigos. Não imagino a minha vida sem ele. E hoje nem me sinto bissexual, posso me dizer hétero, não sinto desejo por outras mulheres, a minha ex foi a unica mulher com quem fiquei e meu noivo meu primeiro homem e último homem se assim Deus permitir. Ele me completa em todos os sentidos, emocionalmente, sexualmente... 
          Conversamos muito sobre a sexualidade, principalmente a dele que já teve mais namorados que namoradas, mas apesar desse detalhe, e como já coloquei na apresentação, para mim casamento é muito mais que sexo, é amor, companheirismo, amizade, carinho... porque no fim da vida, o sexo não será mais tão importante, mas sim a bela companhia do outro.

Essa foi um pouco da minha história, em breve escreverei, sobre nosso processo de superação e sobre as crises. Nem tudo são flores, como em todo relacionamento, sempre tem seus altos e baixos, e nossas escolhas para da certo ou não.

Conte sua história também. Vamos partilhar nossas vidas, desabafar, ou mostrar nossos vivências, com certeza ajudará a outra pessoa!

Beijinhos.

                Flor